terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Legítima Defesa

Já comprei muita briga dos outros. Senti-me ofendido por ofensas dirigidas a amigos. No entanto, descobri que nunca briguei por ninguém, mas por mim mesmo.
Sentia-me ofendido, injustiçado por motivos mil e, de repente, as brigas dos outros surgiam-me como emergentes, válvulas de escape para as minhas próprias angústias.
Também descobri que no fundo, ao comprar a briga dos outros, eu os subestimava e, consequentemente, sentia-me superior, o tal. Quanta arrogância! Infelizmente, muitas brigas comprei sem sequer me dar ao trabalho de apurar os fatos. Que babaca!
Ninguém precisa de minha defesa. Meus amigos sabem se defender. Não sou melhor que eles. Ser amigo não é isso. Isso é propaganda enganosa. É propagar-me como defensor dos oprimidos, tentando ganhar o troféuzinho de ouro, e, no processo, mimetizar minhas próprias dores e feridas e tentar reciclar a imagem negativa que tenho de mim mesmo.
Meu amigo, não o defenderei. Você sabe fazer isso muito bem. Conte comigo, mas não conte com a minha defesa. Permita-me resolver minhas próprias angústias no divã e permita-se crescer, parando de buscar cúmplices para suas causas. Não se esqueça de levar as luvas.  

8 comentários:

b disse...

Não sou sua amiga mas estou com as luvas sim.
(Mas não sei brigar).
Molóide ou estratégica, não vou saber nunca.

gaijin dame disse...

opa... tô no páreo... mas sem luvas... minha pena e minha katana sentem sede de sangue... como você meu amigo, todas as brigas que entrei foram por mim

Ana Carolina Dias disse...

querido, vc não imagina como eu precisava ler isso. afff... beijo beijo beijo

nina disse...

Talvez, os amigos não precisam de ser defendidos... no entanto é (sempre tão) gratificante quando tomam e lutam pelas nossas dores, com ou sem luvas :)

Teófilo Andrade disse...

Antônio, caro: há muita lucidez em seu texto. Você já descobriu o que eu levei muitos anos para aprender. Ser amigo é fazer-se presente sem servir de muleta ou andadeira.Ninguém defende a causa de ninguém, mas a de si mesmo.

Nalva disse...

KKKKKKK....ADOREI o post sobre a bagunça de se morar só..rs....Vc não tem noção do quanto eu espirrei no dia do faxinão por causa da poeira e do limo!!
Mas agora estou a fim de incorporar a Ivete Sangalo uma vez por semana e "levantar poeira"...
Beijo e até mais!!!

Leca disse...

Oi...gostei muito do seu desabafo...principalmente do final...
"Permita-me resolver minhas próprias angústias no divã e permita-se crescer, parando de buscar cúmplices para suas causas. Não se esqueça de levar as luvas."...
Crescer e se responsabilizar pelas próprias ações é memorável...O mundo precisa de pessoas autênticas...
Parabéns...
Obrigada por flutuar lá no meu blog...
Bjo
Leca

Fulvio Faria disse...

fala antonio,

muito obrigado pelo comentario no meu blog. vivo numa correria danada aqui na minha cidade, mas seu blog está entre minhas leituras do fim de semana. entao, devagar, vou lendo seus posts.


abraco