domingo, 14 de março de 2010

Ilusão de Ótica



Havia muito que eu não lhe via. Pareceu-me estranho como seu rosto mudou. Que ponteiros implacáveis! Como se não bastasse, vi no Discovery Channel que depois dos últimos fenômenos tectônicos no Chile, a Terra passou a girar mais rapidamente e os dias ficaram sutilmente mais curtos. É provável que eu tenha mudado também. Ah, os olhos... Sempre prontos para nos enganar a cerca do que nos pertence exclusivamente.  Que relação estranha essa que se estabelece entre o espelho, os olhos e o cérebro. Assim como não vejo nem sinto o movimento do planeta, não percebo o movimento em meu rosto. Descendente. Você percebeu. O meu. O espelho quebrou. Não servimos mais de espelho um para o outro. A imago sua que guardo ou sua imagem que chega-me à retina? A imago. Ela sim lembra-me de um tempo que o cérebro insiste em arquivar no fichário “ANTEONTEM”. Mas já faz muito tempo. Amigos não deveriam ficar tanto tempo sem se ver... 

3 comentários:

Leca disse...

Será mesmo uma ilusão de ótica?
Todos nós mudamos e nos transformamos...ás vezes mais rápido que um abalo tectônico...mas não possuímos nada exclusivamente nosso...nós só nos administramos...por um tempo...ás vezes bem...ás vezes não tão bem...o cérebro é ludibriado pelos olhos...que são iludidos pelo espelho...
Como seria o tempo em que só nos víamos no reflexo dos lagos e rios?Como seria viver num tempo em que só nos víamos refletidos nos olhos do outro?
beijos
uma ótima semana pra você...
Leca

nina disse...

Os dias ficaram mais curtos (dizem), mas (há dias em) que no entanto parecem intermináveis...
Um beijo para vc

continuando assim... disse...

Desde já as minhas desculpas, por este comentário não ter a ver com o post..
é só
um
Convite

O livro "Continuando assim..." foi maltratado...

Resolvi por isso, e porque tanta gente não encontra o livro onde deveria estar (nas livrarias), recontar a história
Lá no …. Continuando assim…
www.continuandoassim.blogspot.com

Vamos em metade da história, o livro reescrito não está igual (nem poderia!) ao que foi editado.
Obrigada a todos os que vão seguindo (pois só assim vale a pena).
Um obrigada especial a quem ainda não conhece e chega de novo

Uma reflexão em relação a todo este assunto entre livros, autores e editoras, e um conselho, se me é permitido:

--- quando vos pedirem dinheiro para editar as vossas palavras, simplesmente digam que não ---

obrigada
Teresa